fbpx

Como criar um logotipo?

design-profissional-logotipoNão confunda, diga sempre LOGOTIPO ou até o LOGO, mas nunca LOGOMARCA, sabe porque? A palavra logomarca até consta em nosso dicionário, porém, não é adotada em nenhuma outra parte do mundo, ao contrário de logo, marca ou logotipo.

O termo é formado pela união de “logo” que vem do grego e significa conceito/significado e “marca” vem do germânico “marka” e traduz-se como significado. Assim, a palavra logomarca seria um termo redundante: significado do significado.

Já logotipo ou apenas logo é:

“símbolo que serve à identificação de uma empresa, instituição, produto, marca etc., e que consiste geralmente na estilização de uma letra ou na combinação de grupo de letras com design característico, fixo e peculiar” (Wikipedia), ou seja, é o trabalho de design que cria a representação da marca.

Damos então algumas dicas para criar um logotipo excelente.

Simplicidade

Seja simples, o que não quer dizer fazer trabalho mal feito, muito antes pelo contrário, as vezes dá até mais trabalho. Já que o logotipo é uma representação gráfica da sua marca e isso deve ser sintetizado de forma que ele seja facilmente identificado, sem informações desnecessárias.

Logotipos muito enfeitados, cheios de elementos e efeitos transmitem uma sensação de desorganização.

Referências

Use e abuse do conhecimento das pessoas que já estão nisso há muito tempo. Parte importantíssima da criação de um bom logotipo, a pesquisa de referências é primeiro passo.

Já ouviu dizer que “nada se cria, tudo se copia”? Não é exatamente assim que as coisas são, mas ter boas referências é essencial para criar um logotipo interessante. Primeiro, pense nos logos que você mais gosta. Aqueles logos que você bate o olho e sabe exatamente do que se trata. Guarde isso, vamos usar lá na frente.

Tendências

O que vem por ai? Atualize-se sobre o que tem sido feito em relação ao design. Design é algo que está em constante modificação. O que era feito nos anos 90 é completamente diferente do que foi feito nos anos 2000, que é diferente do que é feito hoje.

Logo, pesquisar logotipos feitos hoje em dia e tomá-los como referência previne que você crie algo antiquado ou muito fora dos padrões atuais.

Temos algumas dicas de tendências, vamos bater um papo.

Conceito

Com todo esses dados recolhidos durante a pesquisa, é hora de conceituar o seu logo. Conceituação nada mais é do que determinar o que o seu logo vai passar através de suas formas. O que a sua marca (e essa representação em forma de logotipo) dizem sobre seus produtos/serviços? Isso é conceito.

Esboço

Pesquisa feita, conceito fechado. É hora de encarar a folha de papel em branco. Não é necessário ser desenhista para fazer um bom logo. Mas rabiscar um pedaço de papel para organizar as ideias é uma técnica muito eficiente.

Nem os designers mais experientes pulam essa etapa e já vão direto para o computador. A distância mais curta entre o seu cérebro e o papel é usar um lápis ou caneta. E mesmo que os seus esboços sejam só garranchos, eles ajudam na finalização do logotipo. Ficou ruim no começo, faça de novo, refaça, teste, mude.

Digitalização

Esse processo de digitalização na hora de criar um logotipo também pode ser chamado de vetorização.

Não é apenas usar um scanner e pronto, mais do que isso, digitalizar é transformar o rabisco à mão em desenho gráfico através de softwares especializados, bem como o Illustrator da Adobe ou um programa gratuito como o Inkscape.

Para essa etapa, uma noção de computação gráfica e saber utilizar softwares gráficos é essencial. Se esse não for o caso, na internet você consegue encontrar algumas ferramentas que podem quebrar o galho. Mas se precisar de algo profissional, conte conosco.

Tipografia

Pronto, você está com uma tela em branco aberta na sua frente, alguns rascunhos desenhados num pedaço de papel e alumas ideias na cabeça. Vamos então começar com a parte escrita do seu logo.

Pois bem, tipografia é uma ciência que demanda bastante estudo, mas vamos tentar deixar as coisas o mais simples possível aqui.

Existem diversos tipos de fontes, mas sem dúvida uma característica que separa as fontes em dois grandes grupos é a serifa.

como criar um logotipo

Serifa são esses prolongamentos nos cantos da letra. Logo, fontes podem ser serifadas, ou não.

Sobre a serifa, siga essas duas regras simples:

  • Serifas fazem mais sentido em logotipos sérios e/ou clássicos;
  • Use fonte sem serifa em logotipos descontraídos e/ou modernos.

Na escolha da fonte para o seu logo, uma lei que não pode ser desconsiderada de forma alguma é: legibilidade. Não escolha fontes muito enfeitadas. Ninguém vai entender sua marca.

O Símbolo

Sem ler sua marca as pessoas serão capazes de identificá-la? Isso é o símbolo, que tem raízes muito mais profundas:

De alguma forma eles são uma linguagem cifrada das coisas. Por isso mesmo existem desde tempos imemoráveis e continuarão existindo. São tão importantes para a vida e a cultura dos povos que hoje a semiótica ( semeion=sinal) – ciência que estuda os significados da linguagem e dos símbolos – é muitíssimo conceituada.

Outros símbolos apontam para um nível ainda mais profundo, tentando traduzir convicções e valores que se apresentam como indissociáveis para a sobrevivência de uma instituição ou cultura; expressam a identidade profunda.

Precisa dizer mais alguma coisa? Identidade, a sua!

Grid, guias e alinhamento

Desde muito pequenos temos contato com alinhamentos.

grid-gmailQuando estamos sendo alfabetizados usamos cadernos de caligrafia para treinar a escrita, deixando as letras proporcionais e com espaçamentos adequados.

No ensino fundamental temos contato com cadernos pautados, dos quais usamos as linhas para deixar todo o conteúdo mais organizado e legíveis.

Nas aulas de geometria ou desenho geométrico temos contato com réguas, esquadros, compassos, transferidores e, principalmente, com as folhas quadriculadas.

A preocupação com alinhamentos, posicionamento e distribuição é praticada por todos desde muito tempo, mas no design — principalmente durante a criação de um logo — isso é quase uma obrigatoriedade.

Os elementos de um logotipo precisam coexistir e se complementarem de forma harmônica. E a melhor forma de atingir essa harmonia é estar sempre atento aos alinhamentos.

Cores

circulo-cromaticoÉ muito importante pensar primeiro no seu logotipo em uma versão monocromática (preto e branco).

Se ele funcionar em preto e branco — o que seria a sua versão mais simples nos casos em que o seu logotipo será aplicado em alguma mídia que não suporta a utilização de mais de uma cor — ele vai funcionar com várias cores também.

A escolha envolve gosto pessoal, conhecimento de sua persona, do seu mercado, do seu próprio produto, mas uma forma de se decidir é utilizar conhecimentos relacionados a teoria e a psicologia das cores. Falaremos disso num outro post.

Integrando os elementos

É hora de compor um conjunto, acertar as proporções e integrar a ideia em um conceito harmônico. É bom, além de uma prancha só com o logotipo, montar exemplos com ele aplicado em diversas peças e mídias, como cartões de visita, folhetos, anúncios, camisetas, canetas etc.

Provavelmente você não o fará tão bem quanto possível assim, de primeira, claro, quem consegue? Lembre-se de Edison:

Eu não errei 10 mil vezes. Eu apenas encontrei 10 mil jeitos que não funcionam. (Thomas Edison)

Sites de referências

https://logopond.com/

http://designspiration.net

https://br.pinterest.com/

https://www.iconfinder.com/

http://www.dafont.com/

http://br.freepik.com/

http://www.deviantart.com/

O importante não é que todos achem que o seu logo é bonito. O importante é que ele represente a sua marca e dê a ela o devido destaque.

Precisa de ajuda? Conte conosco!

Veja mais